Saiba se você pode pagar o INSS em atraso para se aposentar

Saiba Se Você Pode Pagar O Inss Em Atraso Para Se Aposenta Dra. Elaine Fernandes Blog - Escritório de Advocacia em Várzea Paulista - SP | Dra Elaine Fernandes
Todo trabalhador que possui contribuições pendentes com o INSS tem dúvidas quanto a possibilidade de regularizar a situação. E sim, é possível realizar o pagamento dos atrasados, mas apenas em algumas circunstâncias. Saiba quais são elas no nosso vídeo!

Compartilhe nas redes!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Posso pagar o INSS em atraso para me aposentar?

Todo trabalhador que possui contribuições pendentes com o INSS tem dúvidas quanto a possibilidade de regularizar a situação. E sim, é possível realizar o pagamento dos atrasados, mas apenas em algumas circunstâncias. Saiba quais são elas no nosso vídeo!

Antes de mais nada, é importante saber que, se o atraso for menor do que cinco anos, basta acessar o site ou aplicativo Meu INSS, para realizar o cálculo e emitir as guias em aberto.

No entanto, aqueles que deixaram de contribuir com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) durante o período em que exerceu a atividade profissional como autônomo, ou que possui contribuições pendentes, tem o direito de regularizar a situação e garantir o respectivo período na contagem da aposentadoria.

Vale ressaltar que para que o trabalho seja contabilizado, é essencial provar o exercício da atividade profissional, considerando que, embora o pagamento das parcelas em atraso seja efetuado, sem a apresentação de uma prova documental, não é possível o INSS reconhecer essas contribuições.

No que se refere aos pagamentos atuais, estes contribuem para a melhoria da média salarial, bem como, no cálculo da aposentadoria, porém, é necessário se atentar quanto às regras de pagamento para não desperdiçar dinheiro.

Outro fator importante que deve ser observado, é que nem todos os tipos de segurados do INSS podem efetuar a contribuição retroativa, pois, esta alternativa está disponível somente para o contribuinte individual e facultativo.

Aqueles que contribuírem na modalidade facultativa, podem efetuar o pagamento caso as guias não estejam atrasadas a mais de seis meses.

Do contrário, será necessário comprovar o exercício de alguma atividade profissional.

Já o contribuinte individual pode regularizar as contribuições em atraso mediante duas situações.

A primeira delas é sem a comprovação do exercício de atividade profissional, sendo que, se o trabalhador possuía algum cadastro e efetuou o primeiro recolhimento em dia, não há a necessidade de constatar tal fato.

A outra alternativa ocorre mediante a comprovação da atividade quando o atraso for superior a cinco anos, ressaltando que, além do recolhimento, há a exigência de comprovação do exercício da profissão, visando assegurar a validação do período para a aposentadoria.

Nesta circunstância é necessário agendar o pedido de reconhecimento dos períodos em uma agência do INSS.

No entanto, há casos em que o atraso é inferior a cinco anos, tornando necessária a comprovação do trabalho desde que o segurado nunca tenha contribuído com o INSS como contribuinte individual.

E é claro que há a necessidade de apresentar provas documentais para comprovar as situações mencionadas.

Os principais documentos são:

  • Recibo do Imposto de Renda;
  • Contrato social ou de pessoa física;
  • Inscrição de profissão na prefeitura;
  • Recibos e notas fiscais; e
  • Microfichas de recolhimentos constantes no banco de dados do INSS.

Por fim, chegamos à principal dúvida dos trabalhadores, como é feito o cálculo das contribuições em atraso.

Contudo, as contribuições pendentes apenas são integradas ao cálculo usual da aposentadoria a partir do momento em que são quitadas.

Além disso, o trabalhador que quitar essa dívida junto ao INSS, precisa estar ciente de que deverá arcar com multa e juros incidentes sobre o período em atraso.

No caso de períodos mais antigos, é preciso agendar um atendimento em uma das unidades do instituto, seja pela internet ou pela Central de Atendimento 135.

Por fim, é importante se atentar e ter cuidado ao gerar a guia de pagamento do INSS, caso o segurado ainda não tenha a intenção de efetuar o pagamento das contribuições em atraso, pois, ao realizar este processo ele declara o reconhecimento da dívida.

E é assim que o trabalhador com contribuições em atraso, finalmente consegue regularizar a situação junto ao INSS e se tranquilizar quanto a aquisição da aposentadoria.

Espero que tenham gostado de nos acompanhar. Por isso, nos apoie deixando seu like no vídeo, se inscrevendo no canal e ativando o sininho para acompanhar os próximos conteúdos. Até mais!

Fonte: Jornalcontabil

Fique por dentro de tudo e não perca nada!

Preencha seu e-mail e receba na integra os próximos posts e conteúdos!

Compartilhe nas redes:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Posts Relacionados

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Recomendado só para você
O INSS possui caráter contributivo, assim como o sistema cobre…
Cresta Posts Box by CP
Back To Top
Open chat